VOCÊ EMPREENDEDOR / NOTÍCIA

Alunos e o “novo normal” em sala de aula

Em muitos estados brasileiros (como no Norte e Nordeste) a pandemia causada pelo novo Coronavírus está diminuindo, outras regiões (Sul e Centro-Oeste) enfrentam o aumento nos casos de contaminação e de mortes pela Síndrome Respiratória Aguda Grave, causada pelo Covid-19, casos agravados pelo início do inverno. Nos lugares em que o vírus tem diminuído a propagação, instituições de ensino ensaiam uma volta gradual dos alunos para sala de aula. Mas uma coisa é certa, um novo normal será instaurado nas classes até uma vacina eficaz ser produzida.

Muitas instituições contabilizam o ano de 2020 como perdido em relação ao ano letivo, outras correm atrás do prejuízo para manter a grade curricular das respectivas séries. Nas universidades as disciplinas são, em sua maioria, transmitidas pela internet, as escolas de cursos profissionalizantes se adaptaram rapidamente para continuar atendendo seus alunos e aumentaram os investimentos no formato de Ensino a Distância (EAD) como é o caso desta empresa que criou uma loja virtual de cursos profissionalizantes.

Os alunos e as medidas de praxe na escola


Seja qual for a instituição e o nível (fundamental, médio, profissionalizante ou superior) de ensino, os alunos terão que se adaptar aos novos métodos para evitar a propagação do Covid-19.

Apensar de serem novos no ambiente escolar, os cuidados não são difíceis de serem seguidos e adaptados na rotina de alunos e professores. São aquelas prevenções básicas que estão sendo comunicadas pelas entidades de saúde e informadas em exaustão pelos veículos de comunicação como uso de máscaras, lavar as mãos com frequência, não compartilhar objetos e manter o distanciamento social, esses são alguns exemplos.

Outros cuidados com os alunos


Seguindo o exemplo de países desenvolvidos, que conseguiram achatar a curva de contaminação com sucesso, escolas estão aumentando os investimentos e readequando os espaços para acomodar os alunos.

Um dos cuidados fundamentais, até que se tenha um controle efetivo da proliferação do Coronavírus, é a desinfecção das escolas com produtos de limpeza. Antes de cada aula é preciso fazer uma limpeza profunda no chão, mesas, carteiras e cadeiras. A cada turma nova deve-se repetir o processo de limpeza, sempre com muito cuidado e capricho em todas as limpezas.

É orientado também “tendas de desinfecção” para alunos na entrada, focando a limpeza da sola dos calçados e a limpeza das mãos. O controle de temperatura é fundamental, atualmente existem vários tipos de termômetros no estilo infravermelho, em que se aponta o aparelho para a testa do paciente e o aparelho informa a temperatura corporal da pessoa instantaneamente, sem contato físico. As temperaturas acima dos 37°C são sinais de que a pessoa está febril e ela deve ser orientada a procurar um médico ou ficar em casa em repouso.

Ações de distanciamento social


Nesse período é bom evitar aquele tradicional aglomero na entrada e na saída das escolas. Alternando os horários entre os estudantes, o ideal é tentar utilizar mais de uma entrada e mais de uma saída juntamente com a alternância de horários entre eles.

Salas de aulas costumam ser disputadas e sempre cheias, mas nesse período o número de alunos dentro de uma sala deve ser resumido ao máximo. As turmas devem ser separadas em um número ideal para manter o isolamento social de no mínimo 1,5m entre os estudantes.

As salas de aula, além de serem constantemente higienizadas, devem estar sempre bem arejadas com portas e janelas totalmente abertas, permitindo a circulação do ar dentro do ambiente, mesmo no inverno com as temperaturas mais baixas deve-se fazer um esforço para a renovação do ar no ambiente.

Instituições e suas responsabilidades  


É muito importante que as escolas, faculdades, universidades, qualquer instituição de ensino, saibam sobre a realidade na saúde de seu município. Deve-se saber se a instituição tem como seguir todas as recomendações dos órgãos de saúde e manter professores e alunos do grupo de risco (com comorbidades) isolados em casa.

Voltar a abrir as portas para os alunos é correr o risco de abrir as portas, também, para a entrada do vírus. Por isso é de extrema importância que a instituição tenha convicção das suas competências e responsabilidades em meio a pandemia.

Para mais informações sobre os cuidados e o combate ao Coronavírus você pode acessar esse artigo sobre a maneira ideal de informar e orientar os colaboradores e visitantes sobre os cuidados para evitar o contágio. Nesse outro artigo há o reforço da importância de se manter o isolamento social.

← Voltar
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Cursos livres: 4 vantagens de investir em profissionalização!

Investir em cursos livres pode ser uma boa oportunidade para quem precisa se recolocar no mercado de trabalho ou começar uma profissão do zero. De fato, esse tipo de experiência de ensino faz muita diferença na formação de bons profissionais que enxergam além das opções tradicionais do mercado.Durante a dinâmica ...

De catador de latinhas a um dos mais importantes empresários do Brasil

A história de vida e a trajetória profissional de um dos empresários e palestrantes mais bem sucedidos do Brasil, nos surpreende pela sua capacidade de superação, a leveza com que se comunica com as outras pessoas e pelo sentimento constante que o envolve: gratidão!Geraldo Rufino, 63 anos, é proprietário da ...