VOCÊ EMPREENDEDOR / NOTÍCIA

Empréstimo: é hora de fazer um?

A crise veio com tudo e deixou muita gente com sérios problemas financeiros. Quem tinha um empreendimento, um negócio, por exemplo, sentiu ainda mais os efeitos da crise econômica. A saída para muitos foi fazer um empréstimo ou pesquisar para fazer um. Mas será que é hora de fazer um empréstimo? Não vou me endividar mais ainda? Quais critérios observar para não entrar em uma furada?

Como sempre nosso objetivo nesse artigo é te dar aquela ajuda fundamental para que você siga os melhores caminhos e consiga, com segurança, sair do sufoco da melhor maneira possível.

Áreas afetadas pela pandemia


A crise do novo Coronavírus vem impactando a realidade dos brasileiros de forma acentuada, comprometendo severamente áreas como a saúde, segurança sanitária, estabilidade emocional, convívio em sociedade e as condições financeiras.

A necessidade de distanciamento social para evitar uma disseminação colossal da doença levou a quarentena voluntária e obrigatória a ser uma realidade no país. Assim, grande parte da economia foi paralisada, criando lacunas financeiras para milhares de pessoas.

Empréstimo na crise pode ser arriscado?


Primeiramente, vamos reforçar o que é um empréstimo. Eles são operações de crédito, em que uma pessoa física ou jurídica recebe dinheiro assumindo o compromisso de pagar, no futuro, o valor disponibilizado acrescido de juros e encargos. Entre os fatores a serem definidos em acordo comum entre as partes e registrados em contrato, estão:

  • Prazo de quitação;
  • Número de parcelas;
  • Valores mensais;
  • Taxas de juros;
  • Tarifas;


Diferentemente de operações de financiamento, em que os recursos financeiros emprestados possuem uma destinação específica, como a aquisição de bens de consumo duráveis (casas, carros, terrenos), os empréstimos não exigem uma destinação exclusiva. Ou seja, a pessoa ou empresa pode utilizar o dinheiro para diversos fins. E é, justamente, aí que mora o perigo.

Segundo dados do Banco Central (BC), essas operações de crédito são buscadas para cobrir despesas inesperadas, como as que estamos vivendo agora no país. Mesmo que atendam a uma situação emergencial, cálculos de empréstimos financeiros devem ser feitos com critério, análise e muita organização financeira.

A falta de um bom planejamento pessoal para lidar com uma dívida a longo prazo pode comprometer a sua saúde financeira, gerando novos problemas ainda mais sérios como a inadimplência e a perda de bens.

Empréstimos disponíveis no mercado?


Agora que você já entendeu os riscos de negligenciar medidas de organização e planejamento ao realizar cálculos de empréstimos financeiros em meio a crises financeiras, confira as opções mais populares desse serviço de crédito disponíveis no mercado.

Há o empréstimo pessoal, também conhecido como crédito pessoal, esse tipo de operação é usada para:

  • Cobrir gastos não planejados;
  • Quitar dívidas com taxas de juros mais expressivas como as do cartão de crédito e cheque especial;

Os valores extras atrelados ao benefício, variam de instituição financeira para instituição financeira, entre eles podemos citar:

  • Tarifas de abertura do serviço e contratação;
  • Despesas incidentes nas operações de crédito;
  • Custo Efetivo Total (CET), dentre outros;

Os empréstimos não são um benefício universal, vale lembrar que eles só são liberados mediante análise e aprovação de crédito.

Empréstimo pessoal com garantia


No caso do empréstimo pessoal com garantia, além da análise de crédito, os bancos também exigem a alienação de um bem livre de ônus, que pode ser carro ou imóvel, por exemplo, como uma garantia de pagamento.

Os cálculos de empréstimos financeiros como esse exigem ainda mais atenção, uma vez que a falha no cumprimento do acordo pode significar a perda do bem para a instituição financeira.

Crédito pessoal consignado


Situações de crise geram, naturalmente, aflições financeiras e empréstimo passam a ser uma opção de emergência. Na modalidade consignada, ou empréstimo para aposentado, o pagamento da prestação é feito diretamente como desconto na folha de pagamento ou no benefício previdenciário. Esse tipo de empréstimo é exclusivo para:

  • Aposentados;
  • Pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social);
  • Servidores públicos;
  • Servidores privados de empregadoras exclusivas, que possuam parcerias com a instituição financeira ou banco;

Como o recebimento do dinheiro é feito direto das folhas, os risco para a instituição credora é baixo. Justamente por isso, as taxas de juros dessa modalidade costumam ser vantajosas diante das opções no mercado.

O Estado em relação aos empréstimos na crise


Para auxiliar economicamente a população durante a crise do Covid-19, medidas financeiras e empréstimos facilitados foram anunciados pelo governo. A seguir, listamos algumas das medidas mais importante em relação à concessão de empréstimos na crise.

Foi autorizada a liberação de uma renda emergencial no valor de R$ 600 por três meses para socorrer pessoas:

  • Desempregadas;
  • Trabalhadores informais;
  • Microempreendedores individuais (MEI);

Trabalhadores também tem sacado o FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), uma medida emergencial para auxiliar os trabalhadores.

Outra medida do governo para facilitar o acesso ao crédito nesta crise financeira é a liberação de R$ 40 bilhões numa linha de crédito constitucional exclusiva para PME (Pequenas e Médias Empresas) com faturamento entre R$ 360 mil e R$10 milhões por ano.

Além disso, o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) autorizou a destinação de R$5 bilhões em crédito para PME com faturamento anual de até R$300 milhões. O BNDES também anunciou a suspensão da cobrança em cálculos de empréstimos financeiros por 6 meses.

Cuidados ao pedir um empréstimo na crise


É natural que a crise traga aflições financeiras e empréstimos na crise sejam buscados como saída. Mas como dissemos é indispensável que nessa busca, um planejamento financeiro inteligente e seguro seja elaborado. Para te ajudar a evitar problemas ao realizar os cálculos de empréstimos financeiros, preparamos uma lista de dicas especiais.

1. Pesquise e conheça suas opções


A primeira dica é evitar empresas desconhecidas. Faça uma pesquisa criteriosa para escolher uma instituição financeira e empréstimos vantajosos. Esse tipo de operação envolve prazos longos e valores expressivos, por isso devem ser feitos em bancos de confiança.

2. Conheça (leia) o contrato de adesão


É importante ler o contrato de adesão com muita atenção antes assiná-lo. Tendo domínio sobre todo conteúdo acordado, você não será pego de surpresa caso ocorra algum ajuste, exista a necessidade de cancelamento, e assim por diante. Não faça as coisas na emoção, leia, releia e tire todas as dúvidas pertinentes.

3. Conheça as taxas e condição de pagamento


Situações fora da normalidade geram preocupações financeiras e empréstimos na crise, muitas vezes, são a única opção. Contudo, mesmo que a aprovação desse benefício seja rápida, não deixe se levar pela emoção. Antes de assinar, verifique:

  • Valores e encargos envolvidos;
  • Prazos de pagamentos;
  • Formas de quitação;
  • Número de prestações;

4. Cuidado com os golpes na praça


Infelizmente, pessoas mal intencionadas podem se aproveitar da situação desesperadora provocada pela crise do novo Coronavírus, para aplicar golpes financeiros. Por isso, não realize pedidos de empréstimos por telefone e se a proposta estiver muito atrativa, desconfie.

Muito cuidado com as mensagens via redes sociais (como WhatsApp) com taxas e juros muito abaixo do mercado. Principalmente se você não conhecer o DDD do número que mandou a mensagem. O ideal, mesmo na pandemia, é ir pessoalmente até o banco ou agência de crédito.

5. Não pague nenhum valor para garantir o empréstimo


A cobrança de qualquer valor antecipado, seja para simulação ou liberação de crédito consignado, é proibida.Você não deve realizar depósitos ou efetivar pagamentos para assegurar o seu crédito.É importante saber que essa não é uma prática comum do mercado financeiro, e por isso, caso ocorra, ela deve ser denunciada.

6. Planeje o pagamento


Feito os cálculos de empréstimos financeiros, é preciso estruturar o seu planejamento de quitação.Tenha controle sobre suas finanças, conheça gastos, despesas e ganhos a fundo para que empréstimo não se torne um fardo e nem gere uma nova dívida. Se você estiver com o nome sujo na praça, aproveite para mudar essa realidade, nesse artigo há algumas dicas.

Tente cortar gastos nesse momento.Tomando todos esses cuidados, a chance de você fazer um bom negócio são muito maiores. Siga as nossas orientações, pesquisa, compare, e veja qual é a melhor opção para você no momento.

← Voltar
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Gestão de Mídias: jovem une tecnologia e evangelização

Quando falamos de internet, ela pode ter muitas funcionalidades e ser usada para os mais variados fins. E para "administrar" todas essas possibilidades, a profissão de gestão de mídias tem despontado como um trabalho cada vez mais necessário no mercado. As empresas que ainda não estão nas redes, não estão ...

Salário emocional: como está o seu?

Quando você é colaborador em uma empresa o salário pode fazer a diferença na sua autoestima, no rendimento do seu trabalho, no ânimo de forma geral de como você realiza a sua atividade. Mas não estamos falando somente de salário "financeiro", nosso foco neste artigo é um outro tipo de ...