VOCÊ EMPREENDEDOR / NOTÍCIA

Manicure que percorria quase 90 km para estudar vence na vida

Para muitos brasileiros buscar uma qualificação é sinônimo de muita luta e trabalho duro. Mais de metade da população do país vive em municípios pequenos, do interior. É o caso da mineira Sara Maély de 31 anos, casada, mãe de uma filha de quatro anos e que se deslocava quase 90 km (de Lagamar até Patos de Minas) para estudar em um curso de manicure profissional.

Ela se enquadra em uma categoria que não para de crescer no Brasil nos últimos anos que é a de autônomos. Pessoas que tem talento em uma atividade, atividade que vira profissão, que vira fonte de renda, que vira um negócio promissor e que transforma a vida desses trabalhadores. Foi assim com a Sara que, apesar de estudar tão longe de casa, provou que tanto esforço (encarando tantos quilômetros percorridos) não só valeu a pena como faria tudo de novo!

O estudo mudou tudo


Muitos profissionais “caem de paraquedas” em algumas profissões e nessas realidades eles acabam se tornando bem sucedidos com muito treino, repetição dos serviços e aos poucos eles fazem seus trabalhos com excelência. Mas isso não basta, além de levar muito mais tempo (e ter os riscos de errar e provocar incidentes) é necessário um conhecimento mais profundo sobre aquilo que você pretende realizar ou que já está fazendo.

A jovem Sara sabia disso desde que iniciou os atendimentos, por mais que já atuasse na área e tivesse bastante conhecimento e propriedade com seu trabalho, sentia a necessidade inquietante de estudar para se qualificar. “Eu já estava trabalhando na área, porém não havia um certificado e um curso formal, o que eu sabia era através de uma amiga que já era manicure há alguns anos, então decidi me profissionalizar e seguir a carreira”, conta a manicure.

Trabalho de manicure bom, retorno imediato!


A pequena cidade mineira de Lagamar tem aproximadamente 7 mil habitantes. É como se fosse uma espécie de bairro para muitas cidades metropolitanas ou ainda menor que um bairro. Mas o tamanho da cidade, a concorrência e (agora) a crise, foram obstáculos rapidamente vencidos. 

“Apesar da cidade ser pequena, a demanda pelo serviço de manicure e pedicure é bem grande. Atualmente eu não consigo atender a demanda que tenho, por exemplo, estou sempre dispensando clientes pois não consigo atender todos que procuram meus serviços”, afirma Sara.

O sonho de ser dona do próprio negócio


O sonhos de muitos brasileiros é de “não trabalhar para os outros”, impulso que de certa forma é muito positivo, gera a movimentação da economia e cria concorrência no mercado, gerando ainda mais empregos e renda. O ciclo da economia agradece!

A manicure relata que além da satisfação profissional, trabalhando naquilo que gosta, há a tão sonhada independência financeira. “Hoje eu trabalho para mim mesma, após seis meses atendendo em domicílio consegui abrir meu espaço, meu local de trabalho. Tenho tido resultados muito bons até aqui, investindo em meu negócio cada vez mais e melhorando a cada dia os investimentos no espaço. Tenho planos para ampliar meu negócio.

Ela ressalta ainda que se sente realizada com os frutos que plantou com tanto esforço. “Está valendo a pena todo esforço que tive para estudar e chegar onde estou. Eu tenho curso superior em administração, trabalhei em excelentes empresas na área que me formei, porém eu não troco o que faço hoje para voltar para o escritório. Hoje eu faço a gestão do meu próprio negócio com excelência. Eu já melhorei muito o meu espaço em menos de dois anos, tudo adquirido através de unhas das minhas clientes, do resultado do meu esforço, de acreditar e nunca desistir”, enfatiza Sara.

Estudo a ajudou a superar a quarentena


Parece uma pergunta óbvia: “A quarentena afetou os seus negócios?”. A resposta geral será sim (e não poderia ser diferente). Mas há uma diferença entre as pessoas que se viram sem renda nenhuma, nem mesmo reservas, e aquelas que tiveram uma diminuição da renda e acessaram as suas reservas. A pandemia deixa uma lição valiosa para os profissionais que “trabalham de dia para comer de noite”. Não é mais possível viver assim!

É óbvio que em muitos casos quem vive do “hoje” não vive assim porque quer, as contas vêm (luz, aluguel, despesas com pessoal e materiais) e na maioria das vezes não sobra mesmo. Mas agora é preciso estratégias, planos, e um caixa para emergências, mesmo que seja depositado um valor que lhe fará falta para algum investimento que estava pensando realizar. Lembre-se que ter uma “gordurinha” guardada é fundamental para qualquer negócio.

A sara conta como foi a experiência durante a quarentena para ela. “Inicialmente houve sim prejuízos, pois fiquei um mês com as portas fechadas, mas consegui passar bem pois como empreendedor temos que ter uma reserva financeira para eventuais emergências. Aproveitei este tempo para estudar e traçar novas estratégias para superar a crise e hoje já estou com as finanças controladas novamente”, afirma Sara, que deixa um ótimo exemplo de gestão.

Como ser bem sucedido como manicure?  


Como em toda a profissão você tem que buscar fazer as coisas por amor. “A primeira coisa é fazer o que se ama, assim a gente não trabalha nenhum dia, a gente se diverte. Tenha sempre humildade porque dependemos de todos, nunca se sinta envergonhada de perguntar o que não sabe. Ter um foco, um objetivo e saber onde quer chegar é fundamental. Trace estratégias para alcançar seu objetivo, seu sonho e lute para alcançar. E o mais importante de tudo, Deus, tenha fé em Deus, faça o bem e o bem retorna para você”, afirma a manicure.

Ela ressalta ainda que o que é sorte para uns é fruto de muito trabalho para outros. “A sorte que eu tive foi a coragem de encarar esse desafio de transição de carreira com toda garra que pude. Valeu a pena cada sacrifício, cada dificuldade enfrentada”, finaliza Sara Maély, nail design, ela é case de sucesso em tempos tão conturbados na economia.

Você pode buscar mais informações sobre o curso profissionalizante que a Sara fez aqui, ou estudar de casa de forma EAD, com essa outra opção aqui.

← Voltar
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Gestão de Mídias: jovem une tecnologia e evangelização

Quando falamos de internet, ela pode ter muitas funcionalidades e ser usada para os mais variados fins. E para "administrar" todas essas possibilidades, a profissão de gestão de mídias tem despontado como um trabalho cada vez mais necessário no mercado. As empresas que ainda não estão nas redes, não estão ...

Salário emocional: como está o seu?

Quando você é colaborador em uma empresa o salário pode fazer a diferença na sua autoestima, no rendimento do seu trabalho, no ânimo de forma geral de como você realiza a sua atividade. Mas não estamos falando somente de salário "financeiro", nosso foco neste artigo é um outro tipo de ...