VOCÊ EMPREENDEDOR / NOTÍCIA

Desempregado? Que tal ser Dog Walker!

A rotina dos brasileiros mudou drasticamente com a pandemia, mas não foram só nós, humanos, que estamos sofrendo com os efeitos desse vírus. Nossos bichinhos de estimação também estão passando por estresse emocional e físico, além de estarem muito confusos. E se você ficou desempregado, ou ainda nem teve a chance de entrar no mercado de trabalho, uma das alternativas são os dog walkers, ou traduzindo de forma não literal para o português, os “passeadores de cães”.

Sem saberem o porquê dos donos estarem em casa, o porquê de não terem mais dado aquela voltinha de costume, muitos bichinhos, principalmente os cães, estão desgostosos. Muitos deles só conseguem ir “ao banheiro” na rua, o que também pode afetar a rotina intestinal dos peludos, por exemplo.

Para quem é do grupo de risco a salvação nessas horas são os dog walkers, e para quem está desempregado uma das alternativas de faturar um bom dinheiro é sendo passeador de cães. Mas calma! Antes de sair levando vários cães para a rua vamos te dar algumas dicas importantes para você não ter problemas, ok?

Primeiro passo: gostar de animais!


Você gosta de animais, em especial os cães? Adora mesmo? Tanto que às vezes prefere a companhia deles, do que qualquer outra pessoa? Você sente prazer ao passear com seu cachorro (ou vários deles), tem alegria genuína em cuidar dele? Se a resposta para todas essas perguntas for sim, talvez você realmente possa ter a vocação de ser um dog walker e deixar de ficar desempregado.

Mas, como já mencionamos, não bastar gostar e ter boa vontade para começar. Essa não é uma tarefa fácil, acredite! Como todo emprego, ser um dog walker pode ser bastante desafiador no começo e, principalmente, à medida que você conquistar mais clientes. O que significa mais e mais cães para dar conta.

Desempregado, mas não desatualizado!


Como tudo hoje em dia, ser um profissional de sucesso requer que você “mostre a cara” nas redes sociais, saber divulgar seu trabalho, ganhar boas avaliações de clientes e tudo mais. Para isso é importante “construir” sua presença on-line.

Definir uma boa marca (logotipo), um site bonito, blog com muito conteúdo relevante e estar presente nas redes sociais. Todos esses pontos são importantes para atrair clientes inicialmente.

Aproveite e legalize-se


No Brasil, a formalização é um passo importante para você passar a seriedade e a confiança ao tutor do cão que o deixará responsável pelas caminhadas. Inicie como um MEI (Microempreendedor Individual) e prepare-se com estrutura mínima:

  • Tenha acessórios como: bolinhas para brincadeiras e brinquedos
  • Coleiras e peitorais de vários tamanhos
  • Focinheiras
  • Kit para primeiros socorros
  • Lenços umedecidos e toalhas
  • Sacos para recolher dejetos
  • Petiscos e vasilhas para os cães beberem água


Os custos iniciais estimados pelo portal do MEI giram em torno de R$ 4.000 mil e os custos mensais ainda incluem plano de dados para conexão à internet e comunicação (conectividade) para o atendimento ao cliente.

Reposição dos brinquedos e petiscos, manutenção dos kits de primeiros socorros e demais insumos e custos com locomoção. O estimado pelo portal MEI é de R$ 700 por mês.

Agendamentos e emissão de notas


Organização para você nesse período é tudo. Não é porque você está desempregado ou em busca de empreender, que você vai deixar as coisas “correrem soltas”. Mais do que nunca é preciso responsabilidade e máxima organização de rotinas e tarefas.

Atualmente existem vários tipos de aplicativos disponíveis no mercado justamente para te dar uma mãozinha quanto a organização das tarefas, verdadeiras agendas on-line com muitos recursos.

No Brasil, existem alguns aplicativos que oferecem esse serviço específico de passeios, e que podem ser encontrados pelo DogHero. Tanto para o cliente quanto para quem deseja ser encontrado como fornecedor do serviço de dog walker.

Trabalhar duro é não ficar desempregado


Como o trabalho de dog walker está se tornando cada vez mais popular nos últimos anos, haverá concorrência. Mas não deixe que isso desanime você e seu negócio. Seu esforço está em fazer seu cliente satisfeito e feliz.

Tenha o foco no atendimento ao tutor e na qualidade do cuidado com o cão dele. Afinal serão eles que elevarão o seu negócio a um nível superior. Para realizar o trabalho com excelência e também com total segurança, considere as dicas:

  • Evite passeios com os cães em horários de sol forte
  • Não faça o cão caminhar em locais de tráfego intenso de carros e bicicletas. Evite riscos de atropelamento e de estresse para o pet
  • Não passeie com cadelas no cio. Problemas e confusão com cães machos é certo!
  • Estando com os animais em local público, não há como saber sobre a saúde das outras pessoas e animais que compartilham do mesmo espaço. Por isso, o profissional também pode orientar as pessoas sobre vacinas e outros cuidados necessários para o tutor evitar que seus cães sejam infectados. É importante que o cachorro que passeia esteja com as vacinas em dia, tome vermífugos e esteja protegido contra pulgas e carrapatos
  • O Dog Walker pode solicitar a utilização de placas de identificação pelos cães. Você pode confeccionar plaquinhas com sua marca e contato. No verso, a identificação do animal
  • Não basta colocar uma coleira no cachorro e sair pelas ruas. Se antes não houver um trabalho de adestramento, pode ser perigoso para pedestres, ciclistas, crianças e também outros animais na rua. Certifique-se de que o cão vai obedecer as ordens.
  • Importante ter conhecimentos de primeiros socorros, já que existe a possibilidade de acidente com o cachorro durante o percurso.
  • Como o passeador costuma em uma mesma oportunidade andar com vários cães, é bom verificar se os animais de diferentes donos se dão bem entre si. Essa orientação será fundamental para encaixar os pets em grupos que não criarão problemas.
  • Leve água para hidratação durante a caminhada e saquinhos para recolher as fezes. Além de ético e educado, isso também faz parte do serviço.
  • Nesse momento de pandemia, saiba alguns cuidados para evitar a contaminação sua e do bichinho.

Cursos profissionalizantes na área


A profissão de dog walker pode ser um ponta pé para algo maior. Uma clínica veterinária ou trabalhar como assistente, ou ajudante, de pet shops. Aliás, pet shops são atualmente ótimos negócios. Já que o Brasil, como já mencionamos, é um dos países que mais possuem pets no planeta.

Além disso qualificação é indispensável para você que está desempregado e pretende entrar no mercado de trabalho. Separamos alguns cursos que podem te interessar, um curso profissionalizante de auxiliar de veterinário e auxiliar de veterinário e pet shop.

← Voltar
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Gestão de Mídias: jovem une tecnologia e evangelização

Quando falamos de internet, ela pode ter muitas funcionalidades e ser usada para os mais variados fins. E para "administrar" todas essas possibilidades, a profissão de gestão de mídias tem despontado como um trabalho cada vez mais necessário no mercado. As empresas que ainda não estão nas redes, não estão ...

Salário emocional: como está o seu?

Quando você é colaborador em uma empresa o salário pode fazer a diferença na sua autoestima, no rendimento do seu trabalho, no ânimo de forma geral de como você realiza a sua atividade. Mas não estamos falando somente de salário "financeiro", nosso foco neste artigo é um outro tipo de ...